APRENDA A VOAR



Depois dos 50, a Idade de Ouro, a vez da verdade, a hora da posse de si mesma. Aproveite tudo. Curta-se. Ame muito. Você chegou lá. Voe. Agora você tem asas. Você agora é o tigre, e tigre alado. Voe alto. Voe muito alto.

Translate

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quarta-feira, 11 de abril de 2012

ADORO ESSAS MULHERES MUITO LOUCAS



Lou Erych, premiadíssima figurinista do seriado Glee e outros tantos filmes e peças teatrais ( seu currículo é imenso), e seus looks extraordinários







Não sei de você, mas eu, pessoalmente, as adoro. Vestem-se como querem, como gostam, ousam, exibem-se como se fossem telas. Explico: fazem do próprio corpo, da própria forma de vestir, sua expressão de arte, dão seu recado. São loucas, irreverentes, e - pode-se ler nas entrelinhas de seus looks - não se importam nem um pouco com a aprovação alheia. Lúdicas, ensinam-nos a brincar mais com a vida, levá-la com menos sisudez.







Se são personalidades públicas, estão na Mídia, são formadoras de opinião, como é o caso de Lou Erych, contribuem com sua ousadia para que outras mulheres no mundo percam o medo, a timidez, libertem-se da 'ditadura do Adequado', do pensamento normativo, e façam o que lhes der na telha de si mesmas.







A preocupação com o outro, com "o que vão pensar de mim" é um atraso de vida. E se se trata de uma mulher madura, pior. O mundo é mais exigente com ela. "Na juventude, tudo fica bonito, tudo se justifica" - já ouviu esta frase?

É, porém, na idade madura que você deverá menos se preocupar com o outro. Já viveu, já mostrou o que sabe, o que pode, a que veio, já fez, já aconteceu, já pagou todos os pedágios, já sofreu, já superou tantas dores. Por que deveria então se perguntar sobre o que pensa o outro a seu respeito? Você conquistou o direito de ser o que bem entender, de mostrar-se como bem entender. Não tem mais que provar nada a ninguém.

E a hora é boa de libertar sua loucura. Dizia Osho, nos anos 80: " Abram as portas de sua loucura. Libertem-na ou a loucura vos destruirá". É verdade, ninguém escapa de uma certa loucura. Graças a deus.





6 comentários:

  1. Legal, mas precisa ser muito livre para ousar tanto. Curiosidade: será que a tatoo na cabeça é for real?
    abraço, clara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flying on the World11 de abril de 2012 12:48

      É,sim, Clara, essa mulher é ousada. E há de se convir que sua profissão permite e pede ousadia. O seriado Glee, sucesso estrondoso, é voltado para a turma teen. Mas a tatoo não é da vero. Foi feita com Henna sobre a cabeça raspada e imita os desenhos de cabelos dos anos 20. Um abraço, e obrigada por participar deste blog. Venha mais, venha sempre.

      Excluir
  2. Legal e a loucura às vezes pede mesmo licença pra respirar :)) abraço, vejo que vc consertou o espaço de comments

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flying on the World12 de abril de 2012 18:38

      Foi mesmo difícil. Este modelo do Blogger não aceita muitas alterações de Template. E vital, porque acredito que quanto maior participação de mulheres tivermos, melhor será o Flying on the World. Minha proposta é de investigação de quem é e como pensa esse novo ser que surge no século 21. Uma mulher longeva na idade, na beleza, no poder criativo, na libido.

      Excluir
  3. Puxa, esta mulher é mesmo ousada. Eu fico dividida entre o desejo de permanecer invisível, ou me mostrar camaleôa: desfilando humores e cores na cabeça e pelo corpo todo. Mas, no momento, minha meta realista é fazer as pazes com os cabelos brancos... e não tá sendo facil, hehe.

    ResponderExcluir
  4. Flying on the World8 de julho de 2012 18:53

    Eu tenho essa mesma divisão. Às vezes quero 'fazer o espetáculo', às vezes ficar bem quietinha e anônima, cuidando de um jardim.

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua mensagem. Ela é importante para nós.